Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ai de Mim

20
Fev18

Idade da Alma

20-02-2018.png

 

 

Dizem os mais velhos, quando querem mostrar que ainda estão bons para as curvas, que a idade está na cabeça. Facilmente percebemos que isso tem o seu quê de verdade: há velhos que correm maratonas e que treinam todo o ano para as concluir e há adolescentes que nas férias de verão descobrem que o sofá é o seu desporto favorito.

Ainda assim, sou da opinião que a idade de uma pessoa vai mais além do que a idade real (aquela que contamos a partir do dia do nosso nascimento) e da cabeça (se temos vontade para fazer maratonas e se realmente as fazemos). Não basta que uma pessoa tenha genica para dar e vender, não basta andar no ginásio nem ir tomar chá com as amigas todos os sábados às 17h. Ou melhor... isso pode dar-nos uma ideia da idade, a idade psicológica - aquela que nos faz sentir vivos, que nos dá alegria, que nos faz acordar com as galinhas.

 

Mas há uma idade matreira, aquela que se contabiliza de forma inversa. É. É verdade. A idade da alma surge quando se analisam atitudes, princípios e valores. Se a pessoa é nova tem atitudes imaturas; mas se a pessoa já é velhota, então aje com sabedoria e com respeito pelo próximo.

(acabei de inventar isto da "Idade da Alma", faz sentido?)

 

Quer-me parecer que estamos tão focados em sermos fisicamente mais novos que nos esquecemos de envelhecer positivamente a alma. 

O que é feito do respeito? Onde anda a compreensão entre as pessoas?

Perdemos a capacidade de nos ouvirmos uns aos outros. Parece que só andamos aqui para sermos melhor do que o vizinho, quando o objetivo - digo eu - é sermos melhores do que nós próprios. 

E depois chegam aquelas pessoas cheias de razão (porque já têm anos de experiência nisto, porque já viveram aquilo, porque já conheceram aquele lugar, porque já fizeram trinta por uma linha) e esquecem-se do essencial: todos somos humanos, todos somos filhos de alguém, todos temos direito a uma opinião e todos temos o dever de escutar as opiniões dos outros. O mais triste é que em determinados contextos, quem se acha mais do que os outros é quem chega mais longe. 

 

Dizem que a idade não é um posto, mas o mesmo já não se pode dizer da estupidez.

 

Ai de Mim se não envelheço positivamente a minha alma.

Language


• Porto, Portugal
• 28 anos
• Apaixonada por tudo o que faça pensar fora da caixa.

Quero acompanhar o blog de perto

acompanhem também aqui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivo vivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D